O futuro dos negócios pensado por um dos maiores físicos do mundo

0
8

michio-kakuO ano de 2015 carrega um importante símbolo para os apaixonados por predições. No aclamado filme “De Volta para o Futuro 2”, o protagonista Marty McFly ao entrar em sua time machine programa a data de sua viagem futurística para o dia 21 de outubro de 2015 – uma data até então distante até mesmo para os produtores do filme sequência, lançado em 1985. Algumas das suposições tecnológicas apresentadas na obra de ficção são hoje uma realidade: óculos de realidade aumentada, hologramas, vídeo-chamadas, tablets, kinnect, 3D e leitura biométrica. Apesar do futuro surrealista plantado há 20 anos ainda não estar presente no nosso cotidiano, as inovações tecnológicas desenvolvidas na última década contribuíram consideravelmente com a evolução da humanidade, tornando-se primordiais e básicas na vida da maioria das pessoas.

O renomeado físico teórico Dr. Michio Kaku declarou seus prognósticos para o futuro da humanidade, nesta semana no evento Aldea Digital 2015, que acontece na Cidade do México. O cientista nova iorquino é apresentador de diversos programas de rádio, TV e documentários sobre ciência, além de ser o autor de livros como A Física do Futuro, A Física do Impossível e Futuro da Mente. Kaku iniciou seu argumento afirmando que hoje em dia nossos celulares inteligentes possuem mais tecnologia de quando a NASA lançou o primeiro homem ao espaço em 1961, o soviético Yuri Gagarin.

“Se hoje guardamos em nossos bolsos um potencial de tecnologia tão grande que é um aparelho celular, como estaremos daqui a 100 anos?”, indaga o doutor Kaku, que promete um novo século cheio de novidades tecnológicas.

Segundo o filósofo Heródoto, devemos pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro. Se antes nossas comunicações se baseavam em longas cartas que cruzavam oceanos com destino a longínquos remetentes, hoje enviamos 30 bilhões de mensagens por dia usando um único mensageiro mobile. Todas essas mudanças influenciam no modo de como vivemos a sociedade e, por consequência, como comercializamos nossas ideias, bens e serviços.

Mente Humana

De acordo com o físico Michio Kaku, considerado o maior físico teórico do mundo na atualidade, no futuro poderemos controlar tudo ao nosso redor com o uso de nossa mente. Kaku comenta que hoje em dia já é possível gravar e inserir memórias em animais, como por exemplo nos ratos, e que em poucos anos já poderemos programar humanos que sofrem de Alzhéimer, carregando memórias em seus cérebros, deixando de lado longos e caros tratamentos farmacológicos.

Esse processo poderia receber o nome de brainet, já que as nossas mentes estariam conectadas, sendo possível compartilhar memórias entre os nossos amigos, ou até mesmo inserir habilidades e conhecimentos em nossos cérebros, facilitando o treinamento profissional de trabalhadores ou de alunos com deficiências em disciplinas. Uma oportunidade interessante pode surgir para os agentes de viagens, já que poderemos também disfrutar de experiências nunca vividas, como as férias que não tivemos ou o momento que não vivemos, como um test-drive de emoções.

Medicina

O cientista ainda afirma que a tecnologia trará a cura para as doenças mentais e esse é um dos curtos objetivos a serem desenvolvidos nos próximos anos.

“No futuro poderemos talvez curar a esquizofrenia, uma das doenças mais antigas do mundo, citadas inclusive na Bíblia. Com o uso do mapeamento cerebral, entendemos como o cérebro funciona, mas de toda maneira, sempre necessitaremos dos psicólogos e terapeutas comportamentais”, afirma o físico.

De acordo com Kaku, em mais alguns anos poderemos criar robôs usando um disco, encontrado em nosso corpo, chamado Conectoma, que poderá arquivar todas as nossas conexões cerebrais. Dessa maneira, ainda que alguém venha a falecer, poderemos extrair o tal disco, e construir outro alguém, com as mesmas características e sentimentos do falecido, em uma espécie de imortalidade. O material epitelial poderia construído com impressoras 3D, assim como também órgãos e membros, que poderiam ser utilizados em cirurgias, o que reduziria o tempo de espera na fila para doações ou custos no mercado de próteses, por exemplo.

No futuro, banheiros inteligentes poderão fazer exames de urina, de maneira natural, o que identificará qualquer alteração no organismo de quem o utiliza. Desta forma, tumores serão previstos anos antes da manifestação no corpo, agilizando o tratamento e a cura.

Mercado de Trabalho

O físico destaca que com a evolução da tecnologia e democratização do seu uso, é muito provável que aconteça uma escassez de empregos, já que alguns profissionais poderão ser substituídos por robôs. Entretanto, não devemos nos preocupar totalmente: o ser humano, criador de todos os mesmos avanços, é medroso e não permitirá que a inteligência artifial o substitua totalmente de imediato.

“É provável que todo esse desenvolvimento tecnológico, promova  uma competitividade entre o homem e a máquina, forçando que os humanos busquem novos campos de trabalho e possibilidades”.

Relacionamento

A realidade aumentada facilitará o reconhecimento fácil de pessoas que nem sequer conhecemos. O cientista afirma que os óculos inteligentes, que já estão no mercado hoje, serão substituídos por nanochips instalados em lentes de contato, que permitirão essa identificação, além de contribuir no processo de tradução de linguagens e interação com objetos. Em um mercado, por exemplo, será possível olhar para um produto e saber o preço do mesmo em outros lugares, auxiliando no processo de compra.

Estudantes, atores, políticos, turistas irão se beneficiar dessas lentes de contatos já que assim será possível ter a informação desejada em um piscar de olhos, literalmente.

Energia

A tendência é que no futuro o preço que pagamos por energia, como a dos combustíveis, se reduza, já que poderíamos entrar na era do magnetismo, o que facilitaria a locomoção de carros e agora poderão flutuar usando a energia dos imãs.

Boletos para viagens espaciais, propulsores e carros voadores também serão vendidos a preços populares.

“No ano de 2100 poderemos acionar um foguete espacial, da mesma maneira com que hoje ligamos um carro. Todos poderão ter a oportunidade de fazer um passeio no espaço, já que os cabos de fibras, produzidos com nanotubos de carbono serão fortes o suficiente para suportar um foguete a milhares de quilômetros.”

Internet

Michio Kaku comentou que com o passar dos anos, até o ano de 2100, será possível se conectar a internet mentalmente. Além disso, a internet estará presente em todas as partes.

“Quando for necessário solicitar uma avaliação médica, poderemos instalar um robot-médico na parede de nossa casa, utilizando um papel especial com conexão a internet.”

Os governos também deverão ser mais abertos, já que qualquer cidadão terá poder de voz. E é provável que ocorram menos guerras já que as hegemonias de poder estarão lado a lado e a internet será poderosa demais para possuir um único “patrão”.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY